segunda-feira, 29 de março de 2021

O atual cenário da pandemia de covid-19 no Rio Grande do Norte; entenda

 

O número de mortes é de 4.413

Oito dias após o início do decreto mais rígido, com medidas mais restritivas e fechamento do comércio não essencial, o cenário da covid-19 no Rio Grande do Norte ainda é crítico.

De acordo com os dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN), o RN acumula 191.779 confirmações da doença desde o início da pandemia. O número de mortes é de 4.413.

Do último domingo (21) até hoje, o estado acumulou 7.872 novos casos, o que dá uma média diária de 1.124 casos. Contudo, esse número pode ser ainda maior. Segundo a secretaria, em boletins epidemiológicos diários, “instabilidades no sistema E-SUS VE” impossibilitaram “a extração de dados de novas notificações”. Dessa forma, da sexta-feira (26) até este domingo (28), só houve confirmação de 27 novos casos, o que pode ter freado os números.

Ainda assim, a semana de 22 a 28 de março registrou mais que o dobro de casos da semana anterior – entre 15 a 21 de março -, que teve 3.545 casos confirmados da doença. Com os problemas no sistema que registra os casos, a semana finalizada neste domingo teve menos casos do que o período entre 8 e 14 de março, com 8.027. Em relação às mortes, o RN perdeu 268 vidas entre 22 e 28 de março. O número é superior aos 208 óbitos registrados entre 15 e 21 de março.

Na tarde deste domingo (28), às 15h38, o Rio Grande do Norte registra ocupação de 96,4% dos leitos críticos para tratamento da covid-19. Na Região Oeste, 100% dos leitos estão ocupados. Já nas regiões Metropolitana de Natal e Seridó, 95% dos leitos em ocupados, em cada. Durante a semana, tanto o Oeste quanto o Seridó chegaram a ficar com todos os leitos ocupados. No entanto, o Seridó conseguiu reduzir a ocupação nos últimos dias. Por outro lado, a Região Metropolitana registrou aumento na ocupação, saindo de 93,7%.

Um fator positivo ao longo da semana foi a redução do número de pacientes na fila de espera, que chegou a ter 140 pessoas. De acordo com a plataforma Regula RN, na tarde deste domingo (28), 91 pessoas aguardam por vagas para tratar a doença. Desse total, 82 estão na Região Metropolitana de Natal e outros nove na Região Oeste. Dos 377 leitos críticos disponíveis, 345 estão ocupados, 19 bloqueados e apenas 13 disponíveis, sendo sete exclusivos para crianças. Já para os leitos clínicos, são 295 ocupados, 35 bloqueados e 101 disponíveis, dos 431 instalados.

Ao longo da semana, o Rio Grande do Norte chegou a ter 22 hospitais operando com 100% da ocupação. Contudo, com a abertura de novos leitos pelo Governo do Estado – em Natal, São Gonçalo do Amarante e Apodi e também pela Prefeitura de Natal -, o número é levemente menor na tarde deste domingo (28). Ao todo, 20 hospitais estão completamente lotados e apenas cinco têm vagas.

Os hospitais lotados são: Hospital da Polícia Militar (Natal), Hospital João Machado (Natal), Hospital de Campanha de São Gonçalo do Amarante, Hospital de Campanha de Natal, Hospital dos Pescadores (Natal), Hospital Doutor Mariano Coelho (Currais Novos), Hospital Manoel Lucas de Miranda (Guamaré), Hospital Municipal Belarmina Monte (São Gonçalo do Amarante), Hospital Maternidade do Divino Amor (Parnamirim), Hospital Rafael Fernandes (Mossoró), Hospital Regional Alfredo Mesquita (Macaíba), Hospital Regional de João Câmara, Hospital Regional Dr. Cleodon Carlos de Andrade (Pau dos Ferros), Hospital Regional Dr. Tarcísio de Vasconcelos Maia (Mossoró), Hospital Regional Hélio Morais Marinho (Apodi), Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal (Santo Antônio), Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos (Assu), Hospital São Luiz (Mossoró) e Hospital Universitário Onofre Lopes (Natal).

Para reforçar o combate à covid-19, o Rio Grande do Norte convocou mais 139 profissionais de saúde. De acordo com o Estado, o objetivo da convocação é dar continuidade à expansão de leitos e ampliar o atendimento dos pacientes acometidos pela doença. Foram convocados enfermeiros (68), fisioterapeutas (43), farmacêuticos (7), farmacêuticos bioquímicos e/ou biomédicos (4), técnicos de enfermagem (6), técnicos em radiologia (6), técnicos em laboratório (2), copeiros (2) e maqueiro (1). 

Oxigênio

Após soliticar fornecimento de oxigênio, o Rio Grande do Norte recebeu neste sábado (27) 160 cilindros. A carga, de acordo com o governo estadual, será destinada para 49 municípios potiguares que estão enfrentando escassez de abastecimento. 

Já na sexta-feira (26), o Ministério Público Federal (MPF) pediu providências urgentes ao Ministério da Saúde para evitar o desabastecimento de oxigênio e de remédios do kit intubação. De acordo com o MPF, a rede municipal de Natal está com estoques de remédios zerados.

Sobre o oxigênio medicinal, o MPF apontou que levantamento feito no dia 18 mostrou que 70 municípios do RN já tinham recebido alerta de fornecedores para uma possível dificuldade em abastecimento.

Vacinação

Também na sexta-feira (26), o estado recebeu um lote com 66,1 mil vacinas, entre doses de Oxford e da CoronaVac. Os imunizantes foram distribuídos no sábado (27) para os municípios potiguares. A prefeitura de Mossoró anunciou que começou a vacinar idosos com 67 anos ou mais nesse domingo (28).

Em Natal, a prefeitura comunicou três novas fases a partir da segunda-feira (29). A primeira delas é o início da vacinação da população em situação de rua. A segunda é a ampliação dos grupos de profissionais de saúde. E, por último, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou que vai começar a vacinar idosos a partir de 69 anos. Ainda na capital potiguar, a prefeitura celebrou a marca de 100 mil doses aplicadas desde o início da campanha de vacinação.

De acordo com a plataforma RN Mais Vacina, o RN já recebeu 536.640 doses dos imunizante contra a covid-19, sendo 435.240 da CoronaVac e 101.400 da vacina de Oxford. Além disso, mais de 236 mil pessoas já receberam pelo menos a primeira dose.

Município de Tenente Laurentino Cruz emite Certidão Negativa de Débitos Federais

Após 6 anos, o município de Tenente Laurentino Cruz/RN consegue emitir novamente Certidão Negativa de Débitos Federais junto a Receita Feder...