domingo, 4 de abril de 2021

Salles vai pedir US$ 1 bilhão aos EUA para combater desmatamento na Amazônia

 O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo publicada neste sábado (3.abr.2021), que vai pedir US$ 1 bilhão aos Estados Unidos para combater o desmatamento na Amazônia. Ele afirmou que com a quantia, reduzirá até 40% do desmatamento na Amazônia em 12 meses.

Salles afirmou que o plano será apresentado ao governo norte-americano na Cúpula dos Líderes sobre o Clima, encontro convocado pelo presidente dos EUA, Joe Biden, que convidou o homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, e outros 39 líderes para discutir questões climáticas.

“O plano é US$ 1 bilhão por 12 meses, sendo um terço para ações de comando e controle, e dois terços para as ações de desenvolvimento econômico, pagamento por serviços ambientais, justamente nesses lugares onde haverá atuação mais forte do comando e controle. Dando a essas pessoas que serão fiscalizadas nessas regiões, que sofrerão as fiscalizações mais intensas, uma alternativa econômica para que não seja tão convidativo voltar à ilicitude”, disse o ministro ao Estadão.

“Se tivermos US$ 1 bilhão para colocar a partir de 1º de maio, quando sai a Verde Brasil, a gente assume essa sistemática. Se esse recurso estiver disponível para usarmos desse modo, nos comprometemos a reduzir de 30% a 40% em 12 meses. Não adianta fazer acordos de treinamentos, coisas meio intangíveis em que o número é só algo aparente”, afirmou.

Enquanto ainda era candidato à Casa Branca, Joe Biden afirmou que doaria dinheiro para o combate ao desmatamento na Amazônia e ameaçou sancionar o Brasil, caso o país não “pare de desmatar”.

“As florestas tropicais do Brasil estão sendo destruídas. Mais carbono é absorvido naquela floresta do que é emitido pelos Estados Unidos. Vou garantir que vários países se juntem e digam [ao Brasil]: ‘Aqui estão US$ 20 bilhões. Parem de destruir a floresta’”, disse em debate presidencial.

O democrata declarou ainda que poderia impor sanções ao Brasil caso o problema não seja sanado.“E se vocês [Brasil] não pararem [de destruir a floresta], sofrerão significativas consequências econômicas”, continuou Biden.

Na época, Ricardo Salles ironizou a proposta de ajuda financeira. “Só uma pergunta: a ajuda dos US$ 20 bilhões do Biden, é por ano?”, disse. O presidente Jair Bolsonaro também rebateu a declaração, classificou a fala de Biden como “lamentável” e disse que a soberania brasileira “é inegociável”.

Em fevereiro de 2021, já com os Estados Unidos sob a administração democrata, Ricardo Salles e o então ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, realizaram uma reunião por videoconferência com o enviado especial do Clima do governo norte-americano, John Kerry, para discutir mudanças climáticas e pediram ajuda dos EUA para combater o desmatamento.

Na semana passada, o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, afirmou que os Estados Unidos contam com o Brasil como um “líder mundial” nas questões climáticas.

“Contamos com o Brasil como líder mundial para incentivar ações ambiciosas que empoderem o mundo a alcançar metas transformadoras”, disse Todd Chapman ao anunciar o convite de Joe Biden para a Cúpula dos Líderes Sobre o Clima.

PODER360

Tenente Laurentino Cruz-RN: Campanha em prol de uma prótese de fêmur para Jeová (Vanzinho)

Jeová está com sérias complicações e entre tantos problemas está a perder os movimentos das pernas. Pra que isso não aconteça será necessá...